UNESCO aprova 23 novas Reservas da Biosfera em 18 países

A Unesco - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura aprovou 23 novas reservas mundiais da biosfera em 18 países, entre elas oito na América Latina.

A inscrição dos novos lugares na rede mundial foi decidida pela mesa do conselho internacional de coordenação do programa Homem e Biosfera (MAB, em inglês) da Unesco, reunido em Paris desde o dia 18 para analisar 33 candidaturas de 21 países.

El Salvador entra pela primeira vez na lista, com as reservas de Apaneca-Llamatepec, a oeste, onde está situado o vulcão Santa Ana (o mais alto do país), e de Xiriualtique Jiquitizco, que constitui a maior extensão de mangues do território salvadorenho.

Outros países que estréiam na rede de reservas mundiais da biosfera são Catar (Al-Reem) e Emirados Árabes Unidos (Marawah).

Argentina, Chile, Costa Rica, Equador e México foram os outros países latino-americanos que tiveram novas reservas inscritas na lista.

Na Argentina, foram declaradas reservas da biosfera as regiões de Andino Norpatagonica, muito importante para a proteção de ecossistemas de montanha de florestas temperadas e pastoreio, e de Pereyra Iraola, que protege os últimos habitats do rio da Prata.

O Chile teve a candidatura da reserva Bosques Templados Lluviosos de los Andes Australes aprovada. O local inclui ecossistemas de alta montanha e importantes recursos de água.

A reserva Agua y Paz, na Costa Rica, entrou na lista para que se garanta a continuidade ecológica entre a reserva da cordilheira vulcânica central do país e a de Indio Maíz, em território nicaragüense.

No Equador, foi incluída a reserva de Podocarpus-El Condor, situada ao longo da fronteira com o Peru e que conserva importantes ecossistemas de florestas tropicais e de recursos de água.

O México ganhou a reserva Sierra de Álamos-Rio Cuchujaqui, considerada essencial para a preservação dos frágeis ecossistemas do deserto da Sierra Madre e das planícies litorâneas do noroeste.

Entre as 23 novas reservas inscritas há duas em Portugal: a ilha de Corvo, a menor dos Açores, e a ilha Graciosa, também situada no arquipélago.

A Espanha ganhou a nova reserva Rio Eo, Oscos e Terras de Buron, nas Astúrias e Galícia.

A lista é completada com África do Sul (Cabo Winelands), Austrália (Noosa), Vietnã (Western Nghe An), Líbano (Jabal Al Rihane), Canadá (Fundy e Manicouagan Uapishka), Micronésia (And Atoll), Mongólia (Mongol Daguur) e China (Chebaling e Lago Xingkai).

Extensões e retiradas - Além de declarar 23 novas reservas, o programa definiu duas extensões de reservas existentes da biosfera: a de Frontenac, no Canadá e a do Great Volzhsko-Kamsky, na Rússia.

O programa decidiu retirar da rede mundial a reserva de Bayerischer Wald, na Alemanha, porque não corresponde mais, segundo a Unesco, ao marco estatutário adotado em 1995.

Com as decisões tomadas nesta semana, a rede mundial conta agora com 529 reservas em 105 países.

As reservas permitem testar métodos para reduzir a perda de biodiversidade, melhorar os meios de subsistência das povoações e favorecer as condições sociais, econômicas e culturais "essenciais para a viabilidade do desenvolvimento sustentável", segundo a Unesco.

Para a organização, as reservas da biosfera também podem servir como lugares pedagógicos e de experimentação.

Folha Online

Colabora, com a Rede – RMA: Ana Celina Tiburcio
http://www.valeverde.org.br/html/rppn.php

 
Links relevantesAgendaGlossário

© 2004 Conselho Nacional Reserva da Biosfera da Mata Atlântica

Rua do Horto, 931 - Horto Florestal
CEP 02377-000 - São Paulo - SP
+ (55 11) 2208-6080 / 2208-6082
secretaria@rbma.org.br | cnrbma@rbma.org.br | cnrbma@uol.com.br

Mercado Mata Atlântica - RBMA:
E-mail: mercado@rbma.org.br